Relaxamento na gravidez

gravidez-verao

O relaxamento pode ser classificado como um estado de consciência caracterizado por sentimentos de paz e alívio de tensão, medo e ansiedade. O termo “relaxado” pode ser usado tanto para falar do relaxamento muscular quanto para referir pensamentos de tranqüilidade.

O relaxamento na gravidez é considerado desde os anos 30, época em que este foi percebido como uma maneira de quebrar o ciclo dor-medo-tensão-dor no parto.

Antes, a ideia de utilizar técnicas que visassem o controle da respiração eram largamente utilizadas, mas agora, elas vêm perdendo a credibilidade. Pesquisas revelam que uma mãe em trabalho de parto, cuja respiração é artificialmente aumentada, apresenta uma tendência a sofrer efeitos severos dos baixos níveis de dióxido de carbono e não se beneficia tanto com o aumento dos níveis de oxigênio. Assim, a cada dia se recorre menos a exercícios de respiração, encorajando, pelo contrário, que as mulheres respirem de maneira natural e livre. A conscientização da respiração tem sido amplamente ensinada, já que é vista como uma forma de ajudar a mãe a compreender o próprio corpo.

O relaxamento muscular é um método bem disseminado de redução de tensão aplicado a mulheres que estão dando a luz, pois reduz a tensão desse momento. O relaxamento pode ser ensinado em posições diversas: sentado, deitado, de cócoras, de joelhos com braços apoiados no assento de uma cadeira, em pé com os braços levantados e apoiados na parede ou em qualquer outra posição em que a mulher se sinta confortável.

Outra técnica muito efetiva no sentido de relaxamento são as imagens mentais que podem ser utilizadas para reforçar o relaxamento durante a gravidez e o trabalho de parto, visto que através da capacidade que têm para distrair a atenção, auxiliam no bloqueio das vias da dor para o cérebro.

Deseja um parto tranquilo? Quebre o ciclo dor-medo-tensão-dor!

A técnica do lugar seguro: Hipnoterapia clínica

download (2)

A técnica do lugar seguro é altamente utilizada por diversas abordagens terapêuticas. Na hipnoteria clínica, esta pode ser utilizada  na indução à hipnose, para o aprofundamento do transe e até mesmo na autohipnose. Associada à terapia sugestiva, esta técnica faz com que consigamos usufruir ao máximo o poder de nossa mente.

Antes de fazer essa atividade, escreve em um papel três sugestões que se relacionem com algo que deseja mudar, como atitudes, comportamentos, pensamentos, hábitos, entre outros. Para a elaboração dessas sugestões, essas são as regras:

  1. Definitivamente, nunca utilize a palavra NÃO: se deseja deixar de ser ansioso, não escreva “a partir de hoje, não serei ansioso”. Ao invés disso, escreve “a cada dia irei me sentir cada vez mais calmo”. A lei do efeito inverso permite que aquilo que tentamos evitar e negar com a palavra “não” ganhe força e prevaleça. Se, por acaso, eu solicitar que você não pense em uma rosa vermelha, qual é a primeira imagem que virá à sua cabeça?
  2. Uma forte emoção, seja esta negativa ou positiva, com certeza será mais poderosa do que uma emoção mais fraca. Por isso, sempre associe emoção intensas às sugestões que elaborar. Conseguimos mudar com muito mais facilidade aquilo que sentimos.
  3. Seja honesto e realista: se passará por uma avaliação amanhã e não se preparou para a mesma, não adianta em nada pensar que uma sugestão acerca do sucesso que terá na prova o auxiliará a ter uma boa nota. A sugestão se torna efetiva somente quando se adequa a um contexto e um objetivo realista e atingível.
  4. A simplicidade também é muito importante. Aborde um tema de cada vez. Não se permita pensar em mensagens contraditórias. Seja objetivo e direto. A mente não irá interpretar a sugestão. Apenas a absorverá literalmente.
  5. A prática é fundamental para que essa técnica seja bem sucedida. A repetição é a maneira que nos induz a adquirir novos padrões, pensamentos e ações. A repetição das sugestões fará com que progressivamente adquiramos novos hábitos, que substituirão os que não estão se adequando à nossa vida atual.

Como fazer o exercício do lugar seguro:

“Feche os olhos suavemente… inspire profundamente… e expire… libertando todo o ar… todas as sensações que acumulou durante o seu dia e deseja agora libertar… sinta a sensação de leveza… cada vez que expira. Gostaria que se imaginasse no campo… repare na temperatura do ar… nas cores… no ar puro que inspira… sinta os seus passos firmes… sinta vivamente cada sensação que este lugar lhe transmite… sinta os cheiros… as cores… as texturas… os sons… tão agradáveis… imagine a sensação de segurança… de paz. Nada mais interessa a não ser esta sensação de libertação. Continue a caminhar… a reparar em cada detalhe… em cada folha… árvore… flor… a sua mente está libertando e processando todo o seu dia. Deixe fluir todos os pensamentos… agora não interessam mais… a única coisa importante nesse momento é o seu relaxamento… o seu bem estar… físico e emocional. Continue a caminhar pelo campo e a respirar lentamente… repare como já conseguiu abrandar o ritmo de respiração e do pensamento… Relaxe”.

Nesse momento, repita silenciosamente as sugestões que escreveu e memorizou. Sinta, visualize e imagine vivamente cada palavra. Você atingirá tudo o que desejar!

Desejo muito me sentir bem!

download (2)

 

A sua meta atual é ficar bem consigo mesmo? Siga essas orientações e se sinta mais feliz!

  • Liberte-se parcialmente dos eletrônicos

Há pesquisas que revelam que sujeitos que passam muito tempo conectados tecnologicamente apresentam uma propensão maior a desenvolverem sentimentos de culpa e mal estar por não responderem imediatamente mensagens e chamadas que receberam. A médio e longo prazo, isso pode causar estresse, tensão, angústia, insônia, mudanças acentuadas de humor e até mesmo depressão. Por isso, tirar um tempo exclusivamente para si, livre dos eletrônicos, pode trazer mudanças significativas para a sua saúde, como relaxamento, produtividade e elevação da autoestima.

  • Caminhe na rua

Deseja que seu nível de estresse seja reduzido significativamente? Com apenas 15 (quinze) minutos de exposição solar, além da diminuição do estresse, o risco de doenças cardíacas cai consideravelmente. A exposição solar auxilia ainda na melhora do bom humor.

  • Abrace

Apesar de as redes sociais serem, teoricamente, uma fonte de interação com um grande grupo social, estas não propiciam o bem estar e a satisfação que o contato corpo a corpo favorece. O simples toque em alguém de quem gostamos faz com que nosso nível de ansiedade seja diminuído, além de reduzir a probabilidade do desenvolvimento de problemas comportamentais e emocionais. Vamos valorizar o abraço e as demais demonstrações físicas de carinho! Estas são necessidades básicas dos seres humanos!

  • Pratique alguma atividade física

Pesquisas revelam que pessoas ativas fisicamente evidenciam níveis mais altos de satisfação do que os sedentários. Há estudos que indicam que a prática de um esporte é tão efetiva quanto a tomada de antidepressivos para o controle da depressão.

  • Foque em emoções positivas

A tentativa de focar nas sensações de bem estar são extremamente efetivas para a promoção do desenvolvimento de emoções positivas.

  • Medite

A meditação é uma atividade que exige uma grande capacidade de concentração e o controle das emoções positivas e negativas. Por isso, esta é uma excelente fonte para tornar uma pessoa muito feliz.

  • Ajude alguém

Atos diários de bondade e de auxílio ao próximo podem promover felicidade e bem estar para ambos os lados. É um fato que as pessoas que auxiliam as outras diariamente, apresentam níveis elevados de felicidade, melhorando visivelmente a sua satisfação com a vida.

  • A felicidade não é um objeto

A felicidade é simples. Ela é feita de pequenos e singelos momentos de alegria. O grande problema é que muitas pessoas compreendem que a felicidade é exclusivamente atingir um grande objetivo. O problema acontece quando isso não ocorre e há estantaneamente a frustração. As pessoas que não valorizam tanto a ideia da procura pela felicidade tendem a ser menos irritadas e comportam-se de maneira mais altruísta. A felicidade é um conceito abstrato. Sendo assim, tente se concentrar em objetivos concretos e simples, como conversar com um amigo, caminhar, sorrir… procure momentos de alegria.

  • Sorria sempre!

A resposta física aos sentimentos afeta diretamente os estados emocionais e é muito mais fácil controlar os músculos faciais do que a nossa mente. Quando sorrimos e mostramos um semblante de contentamento, os músculos faciais fornecem um feedback neurológico diretamente para o cérebro. Isso quer dizer que quando ficamos carruncados, com raiva e demosntramos isso corporalmente, sentimo-nos emocionalmente mais tristes. Quanto mais sorrimos, mais nos permitimos nos sentirmos felizes.

Hipnose: uma aliada para a minimização dos danos causados pela demência

download (1)

Em um estudo entre dois grupos de sujeitos com demência, em que um desses grupos vivenciou um processo terapêutico convencional e o outro uma intervenção com Hipnoterapia Clínica, evidenciou-se uma melhora significativa na capacidade de concentração, socialização e memória do grupo que passou pela hipnose, se comparado ao outro grupo.

Isso se deve, especialmente, ao fato de a hipnose proporcionar um grande efeito de relaxamento. Quando a pessoa com demência se sente relaxada, ela consegue lidar de maneira mais harmoniosa com a sintomatologia associada à ansiedade e humor depressivo, além de contribuir para o aumento dos níveis de motivação para lidar com as atividades de vida diária e ainda as atividades sociais. A terapia com caráter relaxante auxilia na melhoria das capacidades de memória e concentração.

Os principais sintomas da demência são a perda lenta e progressiva da memória, perda da capacidade de aprendizagem e ainda perda da capacidade de memorizar. A perda da memória envolve não somente a de curto prazo, em que fatos recentes são esquecidos, mas também a de longo prazo, onde as memórias antigas são esquecidas, assim como a capacidade de escrever, de recordar pessoas próximas, reconhecer lugares e executar atividades rotineiras, além de o indivíduo sofrer alterações no modo de ser e de interagir com as demais pessoas.

Estima-se que mais de 12 milhões  de pessoas no mundo sejam vítimas de algum tipo de demência. Essa tendência tende a aumentar a cada dia, visto que tem crescido consideravelmente o número de idosos na sociedade, que muitas vezes mantém uma rotina rígida e que estimulam pouco as habilidades cerebrais.

É um fato que a Hipnoterapia Clínica não cura a sintomatologia associada à demência. Não obstante, é verdade que essa ferramenta pode ser muito auxiliar no controle da ansiedade, no aumento da capacidade de concentração e memória e ainda para motivar o indivíduo para a socialização, diminuindo efeitos nocivos como o isolamento e a depressão, que podem acelerar o processo da demência.

Em suma, o mais importante é que foi constatado que a Hipnose Clínica pode contribuir efetivamente para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes com demência.

Auto-hipnose

hipnose_visual[1]

É bem possível que em um momento de sua vida onde estava vivenciando um problema ou uma situação que de alguma maneira ocupava sua mente, você tenha sonhado com algo relacionado a isso. Esse sonho pode ser apenas simbólico, mas também pode revelar soluções ou ainda propor reflexões sobre o envolvimento emocional com o assunto. Essa é a comprovação de que o nosso inconsciente é sensível às nossas necessidades. Apesar disso, não podemos escolher com o que iremos sonhar ao dormir. A auto-hipnose funciona de maneira parecida. Da mesma maneira que não escolhemos os nossos sonhos quando dormimos, não podemos entrar em auto-hipnose e realizar este ou aquele objetivo.

A primeira informação para que se estabeleça um processo de auto-hipnose bem sucedido é compreender que todo o processo de hipnose é em si uma suto-hipnose. O hipnoterapeuta nada mais é que um facilitador que tem acesso às técnicas de indução para permitir que o próprio sujeito desencadeie o processo nele mesmo.

A prática da auto-hipnose é bastante positiva, na medida em que proporciona relaxamento corporal e psíquico e ocorre lentificação com aumento da eficiência dos processos fisiológicos. Alguns minutos diários de auto-hipnose descansam o sujeito do mesmo modo que esse relaxa quando dorme por horas. Hipertensão arterial, dores musculares, cefaleias e taquicardias podem ser bem controladas com esse recurso. Todo e qualquer tipo de processo doloroso será suavizado com a auto-hipnose.

A prática constante de auto-hipnose fornece excelentes benefícios, que podem ser comparados aos ganhos que se tem com a meditação, como o maior nível geral de energia e atenção, promoção de saúde, serenidade, capacidade de linguagem e desenvolvimento das funções cognitivas, o que foi psicologicamente comprovado. Gradativamente, esse recurso pode levar o sujeito que lança mão da auto-hipnose a tudo isso. Aos poucos, os princípios e a prática constante moldam o corpo e a mente em desenvolvimento desacelerado, mas muito seguro. O ganho é real, desde que haja muita perseverança e disciplina.

Você deve estar pensando: Será que a auto-hipnose é complicada? De maneira alguma. Pelo contrário: a prática é extremamente agradável e simples. Após aprender, o que exige treino, qualquer minuto de pausa pode ser aproveitado para relaxar o corpo, a mente e interiorizar a atenção. Não importa se você tem minutos ou horas. Saliento que a maneira ideal de aprender esse recurso é através da orientação de um hipnoterapeuta, mas existe uma variedade de técnicas que podem ser utilizadas para alterar a própria consciência. Mesmo aprendendo por conta própria, você poderá obter resultados muito positivos. Seja curioso! Se informe!

Como minimizar os efeitos do ataque de pânico?

images

O ataque de pânico, também nomeado de crise de pânico ou crise de ansiedade, é um episódio de intenso medo e desconforto, tipicamente repentino. Este período é acompanhado por, no mínimo, 04 (quatro) sintomas físicos ou cognitivos, podendo chegar a até 13 (treze). Seu início é súbito e aumenta rápido e intensamente, atingindo um pico (normalmente 10 minutos), acompanhado de um grande e desconfortável sentimento de perigo ou catástrofe, além de um desejo de fuga. Em suma, o ataque de pânico é, prioritariamente, incapacitante.

Os principais sintomas físicos são: tremores; coração acelerado, palpitações; sensação de falta de ar ou mesmo de asfixia; tontura ou vertigem, com ou sem sensação de desmaio; sudorese; dores no peito; agitação; náuseas e desconforto abdominal; calafrios ou ondas de calor; parestesias (dormência ou formigamento); sensação de irrealidade (estar distanciando de si mesmo); medo de perder o controle ou enlouquecer e, principalmente, medo de morrer.

Já os pensamentos / cognições, são: desejo de fugir da situação que está; sentimento de estar fora de controle físico e/ou emocional; sensação de que está prestes a desmaiar; sensação de que terá ataque cardíaco; sentimento de que está a enlouquecer ou morrer.

Sendo assim, um ataque de pânico é uma intensa reação em cadeia, tanto física quanto mental. É bem comum que se inicie com uma modesta sensação corporal ou um pensamento sobre algo ameaçador. Porém, em alguns segundos, uma reação em cadeia é ativada, o que envolve pensamentos de medo, reações físicas e sentimentos de desespero e terror. Em grande parte dos casos, o ataque do pânico inicia-se com uma variedade de sintomas e atinge um pico de 10 (dez) a 15 (quinze) minutos. A partir daí, gradativamente ele diminuirá.

Considero relevante informar que o ataque de pânico nunca é permanente, ou seja, ele durará apenas alguns poucos minutos (em média, 05 minutos). Após atingir um pico de desconforto, a tendência natural é que a intensidade dos seus sintomas diminua.

O relaxamento é a chave mestra para controlar e superar os ataques de pânico. As técnicas de relaxamento, tais como, relaxamento imagético, controle da respiração e meditação podem ser praticados para ajudar a relaxar.

Um exemplo de controle da respiração é a respiração lenta e profunda. Exemplo: respire calmamente e em silêncio, conte para si mesmo à medida que vai inspirando: 1 … 2 … 3 … 4 … 5…, e expire continuando a contar para si: 1 … 2 … 3 … 4 … 5 …, mantenha um pouco a respiração pelo período que considerar confortável. Repita o processo durante cerca de cinco minutos para que o equilíbrio de oxigênio e dióxido de carbono possa voltar ao normal. Este é um processo muito simples e eficaz quando utilizado aos primeiros sinais de um ataque de pânico.

Não se esqueça: evite sempre a auto-medicação e evite o desenvolvimento de hábitos danosos para si mesmo. É muito importante procurar, em vários casos, ajuda médica e psicológica. A terapia é uma relevante ferramenta para controle desse quadro de ansiedade.