Pensamentos sabotadores: o pior vilão de quem deseja emagrecer

pensamentos-sabotadores

Como tenho observado que muitas pessoas vêm tentando emagrecer e por mais que invistam em dietas e exercícios, não têm êxito, tenho publicado textos com o caráter de educar a mente desses indivíduos, com o intuito de que eles se condicionem a pensar de uma maneira mais funcional e favorável diante da meta de emagrecer. Sendo assim, hoje falarei sobre um grande inimigo das pessoas que desejam emagrecer: os pensamentos sabotadores. Mas o que é um pensamento sabotador? Nada mais é que um pensamento que o incentiva a comer. Existem inúmeros pensamentos que fazem com que eu me permita comer, como, por exemplo, “eu sei que não deveria comer isso, mas hoje irei comer, porque tive um dia difícil”, ou ainda “vou comer bastante só hoje, porque irei em uma festa de aniversário. Na segunda recomeço a dieta”.

Por mais que você não tenha consciência, o pensamento sempre precede o ato de comer. Levar um alimento até a boca não é um processo automática. Antes de fazer isso, seu cérebro captou uma série de pensamentos que influenciam o que você iá fazer. É importante saber que os pensamentos sabotadores têm sua gênese quando você recebe um estímulo, ou seja, uma situação que estimula seu pensamento. E estímulos nos são enviados a todo tempo. Recebemos estímulos como a visão e o cheiro dos alimentos. Experimentamos ainda, sensações como a fome, sede ou o grande desejo de comer algo. Temos ainda os estímulos mentais, como pensar em comida, ler receitas culinárias, lembrarmos de um prato favorito ou simplesmente nos imaginarmos comendo. Lidamos constantemente com diversas emoções, como a raiva, a tristeza, a ansiedade, o aborrecimento ou a frustração, e esses sentimentos normalmente nos incitam a comer para buscar conforto ou nos distrairmos. Por fim, recebemos os estímulos sociais, já que muitas pessoas nos incentivam a comer ou ainda quando sentimos vontade de comer como as outras pessoas estão fazendo.

À medida que identificamos os estímulos que induzem o surgimento de pensamentos sabotadores, os quais nos levam a comer de maneira inadequada, podemos minimizar a nossa exposição a eles ou modificarmos a maneira de enfrentá-los. Tolerar a fome e o desejo incontrolável de comer; fazer as refeições pausada e tranquilamente, sempre sentados; lidar com as emoções de maneira produtiva e acreditar que realizar refeições saudáveis é uma condição muito mais importante do que comer para agradar as outras pessoas ou apenas para satisfazer um desejo momentâneo são procedimentos que, aos poucos, farão com que consigamos perder peso e manter essa perda a longo prazo.

É preciso ainda saber diferenciar a fome de outras sensações que, erroneamente, acabam sendo confundidas com a fome e que nos levam a comer, mesmo não sendo necessário naquele momento. Quando estamos verdadeiramente com fome, experimentamos uma sensação de vazio no estômago, normalmente acompanhada de ruídos. Já a sede faz com que sintamos secura na boca, secura esta que sugere que devemos tomar algum líquido. O desejo de comer, por sua vez, surge especialmente através de algum dos estímulos anteriormente mencionados, o que faz com que desejemos comer mesmo que tenhamos acabado de fazer uma refeição. Por último, o desejo incontrolável de comer faz com que sintamos urgência em comer algum tipo específico de alimento. Esse desejo vem acompanhado de uma grande tensão e uma sensação desagradável na boca, na garganta ou mesmo no corpo.

Reconhecer que vivenciamos todas essas experiências pode ser muito favorável para que tomemos a decisão certa sobre se alimentar ou não em determinados momentos. Lembre-se que é bem provável que em muitos momentos você usufruiu do alimento para se sentir menos tenso e mais relaxado. A decisão de não comer de maneira irregular também pode trazer esses benefícios.

Anúncios

Quer emagrecer? Aprenda a pensar magro!

QUERO-EMAGRECER-DIETAS

Você deseja emagrecer? Saiba que não existe fórmula mágica. A única alternativa para perder peso é consumir menos e gastar mais calorias. Parece difícil demais? Não se você tiver como aliado o poder de sua mente! É isso mesmo!

É bem interessante dizer que perder peso é uma tarefa excessivamente árdua para um sujeito que tem em sua cabeça o registro de um corpo gordo. Sidney Chioro, neurologista e professor de psiquiatria da Universidade de São Paulo (USP), sempre apostou nessa ideia e apoiou seu trabalho com obesidade em recursos que atuam no sistema neurológico. “São as emoções que traçam o caminho das mensagens no circuito dos neurônios. Um padrão neurológico inadequado pode transformar uma carência afetiva num comando de fome”, explica Sidney. Sendo assim, não é raro que muitas pessoas que estão passando por algum problema no relacionamento sintam uma enorme vontade de comer uma caixa de bombons inteira ao invés de buscar uma solução para o relacionamento.

A chave mestra para quem quer emagrecer é educar a mente. Ser positivo é uma grande alternativa. As pessoas gordinhas normalmente não se sentem à vontade para chamar uma amiga também gordinha de “baleia”, mas têm uma facilidade tremenda em se nomearem dessa maneira. Agindo dessa forma, inconscientemente a pessoa programa o seu cérebro para uma derrota contra a balança. Pensamentos como “sempre vou ser gorda” ou “nunca vou conseguir perder peso” bloqueiam completamente as possibilidades de mudança corporal, mantendo o corpo pesado. Por isso, seja positivo. Elimine definitivamente pensamentos gordos. Quando eles vierem à mente, diga firmemente: “Pare ou apague!”.

Todos os indivíduos são capazes de tudo, desde que desejem e se esforcem para isso. Então, deixe de dizer que não tem pique para malhar ou que para você é impossível viver sem comer doces. Todas as pessoas podem fazer dieta, desde que realmente queiram isso. Além disso, é fundamental que as pessoas que desejam emagrecer tracem para si metas realistas. Não adianta querer perder 50 quilos em um mês. Não vai funcionar. A paciência e a perseverança são imprescindíveis nesse momento. Diga para si mesmo: “Não perdi peso ainda, mas, quando decidir de verdade, vou conseguir”.

Criar imagens mentais do emagrecimento também é uma excelente ferramenta. Como fazer isso? É bem simples: Feche os olhos e se veja caminhando em um lugar tranquilo e que você goste. Se disser “eu vou andar ouvindo música”, criará também um estímulo auditivo. As representações sensoriais visuais e auditivas ajudam o cérebro a traduzir os pensamentos em ações. Com o passar do tempo, se imagine ficando mais magro nessas caminhadas.

Elogiar a si mesmo é muito bom. Quando nos elogiamos, reforçamos o nosso bom humor e nossa disposição. E quando estamos bem, não precisamos de encher o prato para curar uma dor emocional. Reserve um momento do seu dia para agradecer tudo o que tem de bom em sua vida e tudo o que tem alcançado. Se possível, faça isso antes de uma refeição, pois desse modo esse exercício fará calmante e deixará você com o estado de espírito perfeito para comer com tranquilidade.

Transforme seus desejos em metas. Se imagine, fale e escreva sobre você como se já estivesse mais magro. Visualize-se em uma roupa menor e também se imagine subindo em uma balança e feliz por ter perdido peso. Posteriormente, registre essas cenas em um caderno de tarefas. Assim, o seu desejo é transformado em compromisso. À medida que você for progredindo, revise, melhore e amplie suas metas.

Controlar o desejo de comer é imprescindível. Pense na seguinte questão: comer é necessário, mas comer exageradamente é gula.  E a gula é controlável. Seguem algumas dicas para mudar esse hábito ruim:

  • Beba água aos goles. Da próxima vez que você sentir fome fora de hora, beba um copo de água em pequenos goles. Se for gula, a vontade de comer vai passar rapidamente.
  • Contar até 10 é ótimo! Não se entregue à gula imediatamente. Resista a ela por dez minutos. Esconda as guloseimas e saia para andar ou ocupe as mãos com um trabalho manual.

 

Finalmente, ame seu corpo! Quase todas as pessoas, principalmente as mulheres, sempre encontram algum defeitinho no próprio corpo. Valorize o que você tem de bom fisicamente, reconhecendo, claro, que você poderá ficar ainda melhor. Dessa forma, você trabalhará com a elevação de sua autoestima, o que é fundamental para que nos sintamos motivados durante todo o processo de emagrecimento. Cultive o bom humor, adote atitudes saudáveis e trace perspectivas positivas. Sua mente sempre trabalhará a seu favor se você mudar sua forma de se ver e de ver a dieta! Pense nisso!