Autoafirmação

auto-afirmacao_thumb1

A autoafirmação é caracterizada por um conjunto de comportamentos emitidos por um sujeito em um contexto interpessoal, no qual este evidencia seus desejos, opiniões, sentimentos e até direitos de forma direta, objetiva e honesta, mas sem infligir os direitos, atitudes e sentimentos do outro. Assim sendo, fica claro que o objetivo não é controlar, persuadir ou mesmo manipular os receptores, mas sim invocar uma atitude de respeito em ambas as partes.

Há três princípios para aplicar a autoafirmação, sendo que a prática tem uma determinada ordem. Inicialmente, a impressão que temos é que há muita coisa a ser aprendida. No entanto, a sua aprendizagem segue os passos da aprendizagem de condução de veículos. Pode ser um pouco complicado no início, mas à medida que praticamos, tudo se torna fácil e natural.

 1º) Focalize a sua atenção em seu interlocutor, deixando claro que para você é importante o ponto de vista dele, mesmo que você não esteja de acordo.

2º) Expresse-se de maneira direta, objetiva e clara sentimentos e pensamentos sem insistência e sem pedir desculpas.

3º) Ao fim de cada discurso, é fundamental que o objetivo , a ação e o resultado que deseja fiquem claros. Por isso, não hesite nem seja insistente. É desse modo que a atitude de autoafirmação permite que você fique à vontade na relação face a face, controlando a situação, procurando objetivos realistas. É interessante pensar que em caso de desacordo, é imprescindível o face a face, controlando a situaçmaros.  e clara seus sentimentos e pensamentos sem insistito de ambasa sas este evidencia senegociar mais na base do interesse mútuo que na ameaça.

Diante de tudo isso, fica bem transparente que a passividade não auxilia em nada nesse aspecto. Pelo contrário: uma atitude passiva evidencia medo de se envolver, o que pressupõe submissão e uma tendência a evitar o conflito, ou seja, fuga frente a contrariedades. Agindo dessa forma, permitimos que o outro trate nossos sentimentos, pensamentos e ações da maneira que ele quer, sem que você se defenda. É agir da forma que o outro quer, independente de seu desejo.

São comportamentos típicos do sujeito passivo:

  • Não pedir favores;
  • Apresentar postura corporal tensa e movimentos corporais desajustados ou ansiosos;
  • Mostrar acordo em assuntos que não lhe interessam;
  • Evitar contato visual;
  • Falta de confiança;
  • Apresentar um padrão de discurso hesitante.

Esse tipo de comportamento produz irritação, pena e aborrecimento por parte dos outros receptores, o que pode fazer que que estes abusem constantemente. Seus direitos são simplesmente colocados de lado, deixando que a raiva e o ressentimento cresçam dentro de si. Enfim, a passividade não traz resultados satisfatórios e tampouco assegura relações agradáveis com os outros. Em compensação, afirmar-se com tranqüilidade traz à tona várias possibilidades de resultados positivos em seus relacionamentos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s