Mentirinhas infantis…

mentira-grande

Entre os 03 e os 04 anos, a criança começa a distinguir de maneira consistente uma verdade de uma mentira. Antes dessa faixa etária, a criança lança mão da mentira apenas como mais um dos produtos da criatividade que está em plena formação.

É bem comum que os pais não saibam se comportar diante de uma mentira. O que fazer? Quando a mentira parte de uma criança com idade abaixo da faixa etária acima mencionada, o melhor a se fazer é relaxar e desfrutar das histórias que ela produz. Não é necessário dar grande ênfase a essas pequenas mentiras, que na verdade nada mais são que fantasias extremamente detalhadas, histórias completamente inofensivas e que são naturais nessa fase do desenvolvimento infantil. É habitual que os pais contem contos de fada para as crianças. Por isso, é importante que os pais se permitam ouvir as histórias que as crianças têm para contar. O ideal é não punir a criança de 02 anos ou menos quando esta “embeleza” a verdade. Não obstante, é fundamental promover a honestidade, de uma forma que seja adequada à idade da criança.

Encorajar a criança a dizer a verdade é sempre um caminho construtivo. Para tal, é preciso que os pais evitem se zangarem diante de uma mentira e exponham satisfação quando a verdade é dita. Se os pais se descontrolam, brigam ou gritam, a criança se dá conta de que a mentira compensa, pois dessa maneira ela conseguiu fazer com que os pais perdessem o controle e lhe dessem atenção.

Nunca se deve acusar uma criança que supostamente mentiu. Estimular para que esta diga a verdade é, sem dúvidas, o melhor caminho. Fazer comentários que incentivem a confissão e não a negação é uma excelente alternativa.

É fundamental também que as regras familiares sejam adequadas à idade e a capacidade da criança, pois caso isso não aconteça, esta poderá se sentir sobrecarregada com exigências de difícil cumprimento, o que fará com que ela se sinta tentada a mentir como forma de evitar desapontar os pais.

Por fim, é imprescindível que seja estabelecida uma relação de confiança entre os pais e a criança. Ser um modelo de honestidade é o maior exemplo. Não minta para as crianças. Procure cumprir o prometido e quando isso não for possível, se desculpe por ter descumprido a promessa.

Mesmo que a criança relate algo difícil, mas verdadeiro, elogie-a por ter optado a contar a verdade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s