Quero voltar a viver bem!

cabeca

Atualmente, há cada vez mais um número maior de pessoas que não se sentem motivadas para fazer absolutamente nada. Nada mesmo. Você é um desses sujeitos que acorda e não quer nem sair da cama, pois não sabe por onde começar? Você sabe que tem muitas atividades para realizar, mas não tem o menor desejo de fazê-las? Tudo ao seu redor é sem graça e você precisa se arrastar para fazer qualquer coisa, por mais simples que seja? E o pior, não sabe por que sente-se tão desmotivado?

Se esse desânimo persiste por mais de 06 (seis) meses e, por mais que você se esforce, não consegue mudar mesmo com o apoio de amigos e familiares que lhe oferecem atividades ou passeios que antes lhe deixavam entusiasmado, é bem possível que você esteja com depressão.

Fisiologicamente falando, nosso cérebro é composto por uma região responsável pelas recompensas. Tudo o que fazemos e temos boas recompensas, teremos vontade de fazer novamente. O inverso também é verdadeiro: tudo o que fazemos e que resulta dolorosamente não será impulsionado a ser realizado novamente.

Parece bem simples, não? Todas as coisas boas, desejaremos mais, e tudo o que for ruim evitaremos ao máximo. Não obstante, temos que levar em consideração que o homem é um ser subjetivo. Por isso, muitas vezes nós não nos damos o direito de não gostar de alguma coisa e assim não temos a consciência do porque fugimos destas coisas. Teoricamente, se o resultado é positivo não deveríamos desejar a atividade? Sim, deveríamos. Mas, novamente tocando na questão da subjetividade, temos uma grande dificuldade em focar no resultado final. Pensamos muitas vezes no processo, que nem sempre é simples e agradável. E isso certamente é um fator desmotivador para que finalizemos atividades.

O cérebro do depressivo tem uma grande resistência a pensar em médio e longo prazo, se limitando a pensar somente no agora, o que faz com que ele não consiga imaginar a deliciosa e satisfatória sensação de “dever cumprido” ao concluir uma tarefa.

Existem fatores que fazem com que as pessoas deixem de sentir prazer na vida? Sim, sem dúvida. Pessoas que vivenciaram experiências destruidoras e intensas negativamente ficam profundamente marcadas, tanto que o cérebro é condicionado a acreditar que não há saída e que elas sempre serão perdedoras.

Para vencer essa grande barreira, é preciso identificar quais foram as informações destruidoras que seu cérebro imprimiu sem ao menos perceber que eram falsas, mas que foram passadas por pessoas que tinham poder sobre você. Logicamente, essa não é uma tarefa fácil, já que este conteúdo é algo que você tem em sua memória mais profunda e que não é acessada no dia a dia, e mesmo que a identifique, dificilmente conseguirá sozinho associar estes acontecimentos do passado com os comportamentos e emoções atuais. Para tal, um psicoterapeuta é fundamental, pois este tem o olhar treinado e está fora desta dinâmica. Na terapia, as memórias destrutivas serão substituídas por outras, agora verdadeiras. Com certeza você terá sua vida de volta e sua vontade de viver.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s